Quem precisa de especialistas em informática?

sexta-feira, 7 de março de 2008 15:16 BRT
 

Por Eric Auchard

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - Trabalhadores que conhecem bem a tecnologia e não estão satisfeitos porque suas ferramentas de computação no escritório não funcionam de maneira simples como, digamos, um iPod, estão resolvendo o problema por conta própria.

Eles não dependem mais dos técnicos ou dos administradores dos sistemas de tecnologia da informação de uma empresa para escolher o software necessário a realizar uma tarefa. Sabem como obter ferramentas diretamente na Web.

Observadores do setor usam o termo "consumidorismo" para descrever o fenômeno que leva os trabalhadores a esperarem menos tempo pela ajuda do pessoal de tecnologia.

A analista Rebecca Wettemann, do grupo de pesquisa de software Nucleus Research, diz que as pesquisas de sua empresa entre os usuários de tecnologia freqüentemente encontram declarações como "por que não posso fazer isso sem aprovação do pessoal de tecnologia da informação?"

Tudo isso representa um desafio ao domínio da Microsoft sobre o software usado em empresas, e pode ser um dos motivos menos apreciados para seu esforço em comprar o Yahoo, que dispõe de uma base de 500 milhões de internautas.

"Indivíduos, e não organizações de tecnologia da informação, estão impulsionando a próxima onda de adoção (de tecnologia)", afirmou a Forrester Research em recente relatório.

A Forrester refere-se ao movimento que reclama maior poder e controle por parte dos indivíduos como "populismo tecnológico", e outros observadores o definem como "Office 2.0".

De maneira menos simpática, a consultoria Yankee Group definiu o tema, em um relatório de 2007 chamado "zen e a arte de administrar funcionários fora de controle", como uma tendência que ameaça os executivos de tecnologia da informação.   Continuação...