IBM reforça estratégia de armazenamento de dados de empresas

segunda-feira, 8 de setembro de 2008 15:32 BRT
 

Por Eric Auchard

SAN JOSE, Estados Unidos (Reuters) - A IBM iniciou nesta segunda-feira um grande trabalho de promoção dos produtos e serviços de armazenagem de dados que oferece a clientes que enfrentam dificuldades crescentes com as pilhas de dados geradas por suas próprias organizações.

A companhia está anunciando mais de 30 novos e atualizados produtos ou serviços que são resultado de 2 bilhões de dólares de investimentos aplicados nos últimos três anos e que envolveram milhares de pesquisadores da IBM e aquisições de oito empresas iniciantes no setor.

Apesar da economia apresentar desaceleração e as empresas estarem buscando cortes em gastos com computadores e redes, as vendas de equipamentos de armazenamento de dados continuarão crescendo, até pelo menos alguém inventar uma maneira das empresas pararem de recolher tantos dados, afirmam analistas.

A proliferação de exigências de guarda de dados gerada por exigências dos consumidores que querem ter informações instantaneamente disponíveis e por autoridades que exigem que empresas armazenem um volume recorde de dados está forçando companhias a retrabalharem seus centros de processamento de dados.

A IBM informou que tem como objetivo auxiliar clientes --grandes bancos, agências governamentais e outras organizações-- a lidar com a crescente digitalização do entretenimento, assistência de saúde, segurança e informações de varejo.

A companhia estima que a "impressão digital" média de uma pessoa --a quantidade de dados vinculada a alguém-- crescerá de cerca de 1 terabyte atualmente para mais de 16 terabytes até 2020. A IBM está exibindo como a amplitude de suas ofertas de hardware, software e serviços de armazenamento de dados pode ser usada em conjunto por clientes grandes e pequenos.

Somente a EMC Corp, líder independente do segmento, articulou uma estratégia ampla similar de administração de todas as partes da "infra-estrutura de informações" de uma organização, disseram analistas. Hewlett-Packard e Dell ainda vendem produtos vinculados fortemente a seus servidores, enquanto a Sun Microsystems também está ativa no mercado de fita, mas suas ofertas não são tão amplas quanto as da IBM e EMC.

Buscando mostrar como pode reduzir custos de administração de grandes quantidades de informações, a IBM está demonstrando nova tecnologia da empresa XIV que comprou em janeiro. A tecnologia usa memória de estado sólido em vez de discos rígidos ou fitas magnéticas atualmente utilizados na armazenagem de dados de empresas.   Continuação...