Itália usa Internet para analisar transtornos de alimentação

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 16:36 BRT
 

ROMA (Reuters) - Na Itália, algo como 3 milhões de pessoas sofrem transtornos alimentares e, segundo dados do Ministério da Saúde, 9 mil indivíduos desenvolvem estes problemas a cada ano.

A maioria dos transtornos detectados, principalmente na faixa entre 12 e 25 anos, corresponde a casos de bulimia.

Estas são as conclusões do Instituto de Estudos Políticos, Econômicos e Sociais (Eurispes), que entre os dias 28 de julho e 6 de agosto, realizou um acompanhamento de 260 blogs italianos dedicados à anorexia, bulimia e transtornos de alimentação em geral.

"É um acompanhamento que vai ser mantido nas próximas semanas e até o final de setembro, analisando e catalogando a realidade do fenômeno na Internet a fim de oferecer um quadro completo da situação italiana", disse Eurispes, que calcula que existam em torno de 300 mil portais em todo o mundo dedicados à anorexia.

Este instituto de investigação destaca a novidade de se poder tratar abertamente de temas como esses graças à disseminação da tecnologia, enquanto há bem pouco tempo esses assuntos eram considerados "privados" ou secretos.

"As pessoas anoréxicas ou que sofrem de bulimia tendem a isolar-se, esconder-se, a renunciar às relações sociais. O medo de serem vistos como "gordos" ou o nervosismo que deriva da abstinência de alimentos conduzem a uma vida solitária", explicou o instituto.

"A Web interrompeu esse isolamento. Hoje os jovens, em especial as moças, estão encontrando um meio de se socializar, ainda que permaneçam fisicamente isolados", acrescentou.

Do estudo dos blogs emerge o retrato de adolescentes de 17 anos em média, apesar de que não faltam também exemplos de 12 ou 13 anos, que esperam alcançar um peso ideal de 40 quilos.

(Por Roberto Bonzio)