Tecnologia WiMax crescerá rapidamente em dois anos, diz Intel

terça-feira, 8 de janeiro de 2008 15:52 BRST
 

Por Steven Scheer

SDEROT, Israel (Reuters) - A WiMax, uma tecnologia de transmissão de dados em alta velocidade, de longo alcance e sem uso de fios, deve se disseminar rapidamente pelo mundo nos próximos dois anos, afirmou uma das empresas que investem na tecnologia.

"Em um ano ou dois, ela poderá ser encontrada em metrôs e áreas com grande demanda", disse Dan Eldar, chefe de projetos centrais da Intel em Israel, onde a WiMax é desenvolvida, à Reuters. "Levará algum tempo para atingir um disseminação massiva."

A Sprint Nextel, operadora número três de transmissão de dados sem uso de fios, afirmou nesta terça-feira que está lançando de forma experimental seu serviço de Internet Xohm para funcionários em Chicago, Baltimore e Washington antes do lançamento comercial da WiMax no final de 2008 em algumas cidades dos Estados Unidos.

A Sprint Nextel disse que investirá 5 bilhões de dólares até 2010 em redes WiMax usando o novo padrão 802.16e.

A tecnologia WiMax, que vem com a expectativa elevar as receitas do setor, permite conexões em alta velocidade com a Internet em dezenas de megabits por segundo --mais rápido que o WiFi, que funciona somente em curtas distâncias.

"Ela irá proporcionar o mesmo tipo de banda larga na estrada como se você estivesse em casa", explicou Gaby Waisman, gerente geral na Europa da Alvarion, uma fabricante israelense de modens e equipamentos WiMax.

A tecnologia tem alcance de até 10 quilômetros, dependendo do número de usuários. Em cidades densas como Nova York, por exemplo, serão necessários mais estações transmissoras por conta da demanda do que em cidades mais esparsas e vazias.

"Estima-se que o número de assinantes WiMax chegue a até 100 milhões em quatro ou cinco anos", afirmou Eldar.

A Intel, maior fabricante mundial de processadores, aposta alto que a nova tecnologia logo irá decolar e é a desenvolvedora dos chipsets para WiMax.

Computadores avançados virão com a tecnologia embutida no final de 2008. Empresas como Nokia, Motorola e Samsung também trabalham em dispositivos móveis e infra-estrutura em WiMax.