SAIBA MAIS-Cinco fatos sobre o Grande Colisor de Hádrons

terça-feira, 9 de setembro de 2008 12:42 BRT
 

9 de setembro (Reuters) - Leia a seguir cinco fatos sobre o laboratório Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), projeto de 9 bilhões de dólares que vai esmagar partículas disparadas a velocidades próximas à da luz depois que começar a operar na quarta-feira, na Organização Européia de Pesquisa Nuclear (Cern).

-- Apesar de ser construído para estudar os menores blocos de matéria --conhecidos como partículas-- o LHC é a maior e mais complexa máquina já criada. Ele tem circunferência de 27 quilômetros e está situado a 100 metros abaixo da superfície, entre os territórios da França e da Suíça.

-- A plena capacidade, trilhões de prótons vão percorrer o anel acelerador do LHC 11.245 vezes por segundo, viajando a 99,99 por cento da velocidade da luz. A máquina é capaz de obter 600 milhões de colisões por segundo.

-- Quando dois feixes de prótons colidirem, eles gerarão temperaturas mais de 100 mil vezes mais quentes que o núcleo do Sol, concentradas em um espaço minúsculo. Enquanto isso, o sistema de resfriamento que circula hélio superfluido ao redor do anel do LHC mantém a máquina a menos 271,3 graus Celsius.

-- Para coletar os dados das até 600 milhões de colisões geradas por segundo, físicos e outros cientistas construíram equipamentos para medir a passagem de tempo de uma partícula na casa de alguns bilionésimos de segundo. O sistema de disparo também registra a localização das partículas em uma escala de milionésimo de metro.

-- Os dados gravados pelos experimentos do LHC vão preencher cerca de 100 mil DVDs de camada dupla por ano. Dezenas de milhares de computadores ao redor do mundo têm sido convocados para integrar uma rede chamada "The Grid" que lidará com o processamento das informações.

 
<p>O &uacute;ltimo elemento do ATLAS &eacute; baixado na CERN em Meyrin, perto de Genebra, dia 29 de fevereiro. Leia a seguir cinco fatos sobre o laborat&oacute;rio Grande Colisor de H&aacute;drons (LHC, na sigla em ingl&ecirc;s), projeto de 9 bilh&otilde;es de d&oacute;lares que vai esmagar part&iacute;culas disparadas a velocidades pr&oacute;ximas &agrave; da luz depois que come&ccedil;ar a operar na quarta-feira, na Cern. Photo by Denis Balibouse</p>