Nova York inicia inquérito antitruste sobre Intel

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 16:52 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O Estado de Nova York lançou uma investigação formal nesta quinta-feira para determinar se a Intel, maior fabricante de chips do mundo, violou leis anti-truste norte-americanas para prejudicar a rival AMD.

O procurador-geral de Nova York, Andrew Cuomo, disse que emitiu um mandado de busca de documentos e informações depois de um inquérito preliminar levantar questões sobre se a Intel coagiu clientes a excluir a AMD, sua principal rival, do mercado mundial para microprocessadores.

A Intel está enfrentando investigações similares na Europa e na Ásia. Os agentes federais antitruste em Washington até agora se recusaram a admitir o assunto.

"Nossa investigação é focada em determinar se a Intel já usou inadequadamente poderes de monopólio para excluir competidores ou conter as inovações", disse Cuomo em nota.

"Nós também olhamos para se a Intel abusou do seu poder para remover ameaças competitivas ou afetar a competição, em violação das leis antitruste federais e de Nova York."

Um porta-voz da Intel disse que a empresa tem sido há muito tempo um alvo de reguladores governamentais por supostas práticas anticompetitivas e se recusou a fazer comentários imediatamente.

Nos casos mais recentes a companhia ou venceu a disputa ou encerrou o caso de forma amigável com os reguladores ou rivais. A AMD disse que tinha sido contratada pelo escritório de Cuomo. "Eu posso conformar que nós recebemos uma intimação também", afirmou o porta-voz Drew Prairie, que se recusou a dar detalhes.

Na segunda-feira em Bruxelas, uma porta-voz da Intel afirmou que a empresa tinha respondido a acusações antitrustre enviadas pela Comissão Européia e que tentaria obter uma audiência.

A comissão acusou a Intel em julho passado de reduzir os preços abaixo do custo e de oferecer compensações enormes em uma tentativa ilegal de tirar a AMD do mercado.

As acusações da Comissão e a resposta são confidenciais.