Menos espanto e mais gratificação instantânea em Las Vegas

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 10:52 BRST
 

Por Eric Auchard e Kenneth Li

LAS VEGAS (Reuters) - De pequenos players de música que dançam ao tocar canções a escovas de dentes mais inteligentes e telas de computador curvas, os consumidores norte-americanos podem contar com mais um ano de produtos digitais deslumbrantes em 2008.

Mas os líderes de tecnologia que compareceram à Consumer Electronics Show (CES), o evento dominante do setor, em Las Vegas, esta semana, disseram que o foco do evento este ano passou a ser a gratificação instantânea do consumidor, em lugar das visões sobre o que o futuro mais distante poderia trazer.

Os fabricantes de eletrônicos estão se beneficiando da transição das tecnologias analógicas mais antigas para as digitais, iniciada há uma década. Aparelhos antes separados, que variam de computadores a telefones, televisores e automóveis, agora cada vez mais podem ser interconectados e compartilhar mídias.

Como um exemplo dessa convergência, o assunto mais comentado do show foi o lançamento pela Taser, fabricante de uma controversa arma que paralisa pessoas com choques elétricos, de uma combinação entre música digital e arma decorada em padrão de oncinha.

Ao mesmo tempo, muitos executivos admitem certa preocupação quanto à possibilidade de que os problemas econômicos crescentes dos Estados Unidos levem os consumidores a pensar duas vezes antes de fazerem suas próximas compras grandes de eletrônicos.

"Hoje foi uma oportunidade de explicarmos quais são as nossas prioridades --nada de muito extravagante", disse Brian Roberts, presidente-executivo da Comcast, durante a CES. Na terça-feira, a Comcast anunciou que um serviço de banda larga capaz de baixar filmes em alta definição estaria disponível ainda este ano.

Os temas do evento em 2008 incluíam simplificar a maneira pela qual os consumidores transferem seus recursos de áudio e vídeo de televisores a equipamentos portáteis e carros. Agora, há televisores imensos como o modelo de plasma de 150 polegadas exibido pela Panasonic, mas Pioneer, Sharp, Sony e Samsung demonstraram que eles também podem ser ultrafinos.

(Reportagem adicional de Franklin Paul, Scott Hillis e Sinead Carew)