Reino Unido produz câmera que "vê" sob as roupas

terça-feira, 11 de março de 2008 09:48 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Uma empresa britânica desenvolveu uma câmera que pode detectar armas, drogas ou explosivos ocultos sob as roupas das pessoas a uma distância de até 25 metros, o que pode revolucionar o setor de segurança.

A câmera T5000, criada por uma empresa chamada ThruVision, usa o que os criadores chamam de "tecnologia de imagem passiva" a fim de identificar objetos pelos raios eletromagnéticos naturais, conhecidos como terahertz ou raios-T, que eles emitem.

A câmera de alta potência pode detectar objetos ocultos a uma distância de até 25 metros, e é efetiva mesmo que as pessoas estejam em movimento. Ela não revela detalhes físicos sobre o corpo observado, e a observação não causa danos de saúde, segundo a empresa.

A tecnologia, que teria aplicações militares e civis e poderia ser usada em aeroportos movimentados, shopping centers ou eventos esportivos, será revelada em uma exposição científica patrocinada pela Secretaria do Interior britânica em 12 e 13 de março.

"Atos de terrorismo abalaram o mundo nos últimos anos, e as precauções de segurança foram reforçadas", disse Clive Beattie, presidente-executivo da ThruVision.

"A capacidade de identificar itens metálicos e não metálicos junto ao corpo das pessoas a uma distância de 25 metros certamente será essencial para reforçar qualquer sistema abrangente de segurança", disse.

Embora a tecnologia possa permitir detecção a distâncias superiores, também deve causar preocupação quanto ao crescente nível de vigilância na sociedade britânica, porque centenas de milhares de câmeras de TV em circuito fechado já monitoram as ações de pessoas em todo o país a cada dia.

A ThruVision desenvolveu a tecnologia da T5000 em cooperação com a Agência Espacial Européia, e ao estudar as pesquisas de astrônomos sobre estrelas moribundas.

A tecnologia funciona com base no conceito de que todas as pessoas e objetos emitem níveis reduzidos de radiação eletromagnética. Os raios-T se localizam entre as bandas infravermelha e de microondas do espectro, e conseguem atravessar nuvens e paredes.

A assinatura de onda varia com o material, de modo que se pode distinguir explosivos de um bloco de argila, e cocaína de um saco de farinha.