ENTREVISTA-Clientes de 3G na América Latina aumentam rápido

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 18:26 BRST
 

Por Robert Hetz

BARCELONA (Reuters) - O número de clientes na América Latina que utiliza tecnologia de telefonia móvel de terceira geração (3G) vem aumentando rapidamente devido à instalação de novas redes e à demanda de clientes corporativos, segundo uma associação do setor.

Há 375 milhões de clientes de telefonia móvel na América Latina, mas somente 50 mil já utilizam serviços de acesso rápido à Internet. O número deve chegar, no entanto, a 5 milhões até o final deste ano, estima a consultoria Informa Telecoms & Media. Na comparação com os 10 milhões de usuários de 3G só na Espanha, o número ainda parece modesto.

"Em uns dois anos teremos uma grande massa de clientes em nossa região", disse Erasmo Rojas, diretor regional da América Latina e Caribe para 3G Americas, uma associação do setor.

"A primeira rede de terceira geração foi instalada em dezembro de 2006 e hoje temos 17 operadoras que lançaram redes UMTS/HSDPA em 10 países", disse Rojas no Mobile World Congress.

Celulares 3G custam entre 500 e 700 dólares, um alto preço na região, onde 80 por cento dos usuários possuem telefones celulares pré-pagos.

"As operadoras estão atualmente focando nos clientes corporativos e usuários de celular pós-pago que podem arcar com esse preço. Isso representa apenas 20 por cento do mercado, mas acrescenta potencialmente até 75 milhões de clientes", analisou Rojas.

Governos da América Latina também estão se beneficiando dos preços de outorga de licença para a implantação da tecnologia 3G. Em dezembro, o Brasil obteve mais de 3 bilhões de dólares ao leiloar novas frequências. A Venezuela conseguiu 400 milhões de dólares. México e Colômbia serão os próximos a leiloar licenças.