NY pode banir criminosos sexuais de redes online

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008 19:02 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Procuradores municipais de Nova York endossaram nesta terça-feira a primeira proposta de lei dos Estados Unidos para proibir criminosos sexuais de participarem de redes de relacionamento como Facebook e MySpace, informaram autoridades.

Procuradores de todas as cinco divisões da cidade anunciaram seu apoio à proposta do procurador-geral de Nova York, Andrew Cuomo, de proibir milhares de criminosos sexuais de se comunicarem com menores na Internet.

A mais recentes de várias iniciativas adotadas pelo gabinete de Cuomo, a lei forçaria criminosos sexuais a registrarem seus nomes usados em ferramentas de mensagens instantâneas e permite que sites como o MySpace e o Facebook bloqueiem o acesso deles.

"O lugar de ação hoje em dia é a Internet", disse Cuomo em uma coletiva de imprensa. "Do mesmo jeito que queremos saber seus endereços, queremos saber onde vivem no cyberespaço."

O MySpace é parte da NewsCorp, de Rupert Murdoch, e possui 110 milhões de usuários em todo o mundo. O site tornou-se alvo de fiscalização após alguns jovens terem se sentido vítimas de criminosos sexuais se passando por menores de idade.

No mês passado, o MySpace e 49 procuradores estaduais entraram em acordo sobre uma ampla lista de regras para proteger adolescentes, incluindo o desenvolvimento de um registro de email que permitirá que os pais proíbam seus filhos de criar um perfil online na rede.

O Facebook, um rival de menor escala, concordou em outubro com Cuomo em estabelecer um sistema de resposta no qual prometeu lidar no prazo de 24 horas com qualquer conteúdo desapropriado, e deu permissão para que um analista independente fiscalize como o site lida com as queixas.

Ambas as empresas apoiaram as restrições, relatou Cuomo.

(Reportagem de Edith Honan)