HP Brasil atingiu em junho plano de 800 contratações para 2008

sexta-feira, 13 de junho de 2008 13:47 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A Hewlett-Packard, empenhada em fortalecer sua presença na área de serviços de tecnologia, programou 800 contratações para este ano no Brasil. Até o momento, entretanto, a companhia já atingiu essa marca, segundo o presidente da companhia no país, Mario Anseloni.

Segundo o executivo, as contratações no Brasil visam "levar a HP a um posicionamento de crescimento acelerado" e foram feitas "em toda a cadeia para garantir robustez". Por isso, as ações envolveram fortalecer as áreas fabril, de atendimento ao cliente e de fornecedores.

Anseloni evitou prever para quanto saltará o total de contratações, já que a meta do ano foi atingida antes do final de junho. Isso vai depender, segundo ele, do desempenho de cada área de negócio.

"A HP vive um momento muito favorável no Brasil, com resultados acima das metas estabelecidas. A perspectiva é continuar a crescer, o que vai trazer a necessidade de novos profissionais, mas isso depende de cada linha".

A companhia não divulga o total de empregados no país, mas o mercado estima que o número era de algo como 1,3 mil pessoas antes do anúncio da contratação de mais 800, o que leva o total acima dos 2 mil.

Anseloni falou à Reuters durante o CIAB, congresso de tecnologia para o setor bancário que termina nesta sexta-feira em São Paulo. A presença da companhia no evento --pela primeira vez em cinco anos-- é outra demonstração da vontade de ampliar a atuação em serviços.

"O setor financeiro é um novo mercado para a HP. A empresa era muito mais vista como fornecedora de hardware, mas agora quer tornar mais conhecida suas áreas de software e serviços", disse ele.

De acordo com o executivo, a conquista do grau de investimento pelo Brasil "não traz efeito direto para o setor empresarial, mas evidentemente mostra a perspectiva de que os investimentos feitos aqui terão o retorno esperado". Ele só ressaltou que "há dúvidas sobre até que ponto o Brasil vai conseguir gerenciar a inflação".   Continuação...