ENTREVISTA-Controladora da Nextel quer 30% do pós-pago no país

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 16:58 BRT
 

Por S John Tilak

BANGALORE (Reuters) - A NII Holdings, que controla operadoras de telefonia móvel na América Latina, planeja investir na terceira geração de telefonia celular, ampliar sua presença no Brasil, e elevar a receita gerada a partir de dados como forma de sustentar o atual crescimento.

A companhia já participou dos leilões de terceira geração realizados no Brasil em dezembro, mas não conseguiu nenhuma região. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), entretanto, reservou uma banda (H) para uma licitação posterior, ainda sem data definida.

A NII pretende participar de leilões tanto no Brasil como no México, seus dois principais mercados, segundo o presidente-executivo Steven Dussek.

A empresa já iniciou um trabalho preliminar para desenvolver uma rede de terceira geração no Peru, primeiro mercado em que pretende lançar essa tecnologia.

"O 3G vai nos dar a oportunidade de expandir o que chamamos de nosso mercado-alvo. No caso do Peru, estamos quase dobrando esse mercado", disse Dussek à Reuters. Ele se tornou o principal executivo da companhia em fevereiro.

A empresa pretende lançar o 3G no Peru em 2009. De acordo com o executivo, a tecnologia será complementar à usada hoje pela Nextel --a iDen, da Motorola--, na qual a empresa ainda confia, mas que não suporta tráfego de dados.

As rivais da NII em seus principais mercados incluem as gigantes América Móvil, que no Brasil controla a Claro, e a espanhola Telefónica, dona de 50 por cento da Vivo, maior operadora de celular do Brasil. Ambas as concorrentes já atuam na terceira geração de celular.

A NII teve um crescimento recorde de 35 por cento na receita anual nos últimos quatro anos. Em 2008, espera que o faturamento seja mais de três vezes superior ao alcançado em 2004.   Continuação...