UE defende orçamento de projeto de navegação por satélite

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 16:55 BRST
 

BRUXELAS (Reuters) - A Comissão Européia defendeu nesta segunda-feira a previsão de gastos de 3,4 bilhões de euros (5 bilhões de dólares) com o satélite Galileo após um relatório afirmar que esse orçamento deve ser superado facilmente.

A revista alemã Der Spiegel citou um relatório confidencial de Berlim com a previsão de que o Galileo, projetado para rivalizar com o norte-americano Global Positioning System (GPS), vai custar pelo menos 1,5 bilhão de euros a mais do que acredita o órgão executivo da União Européia.

"As estimativas que nós temos são baseadas em terreno firme", disse o porta-voz de transporte da Comissão, Michele Cercone, em reunião com jornalistas.

A Der Spiegel também citou especialistas dos setores financeiro e industrial, que disseram que o Galileo pode acabar custando entre 5 bilhões e 10 bilhões de euros.

Cercone disse que a previsão da Comissão leva em conta o custo de construção da infra-estrutura necessária para lançar o projeto em 2013. Ele acrescentou que outras previsões podem ser baseadas em períodos diferentes.

O Galileo tem sofrido com anos de dúvidas sobre sua viabilidade e seus custos, apesar dos argumentos da Comissão Européia de que ele criará milhares de empregos e vai assegurar a independência do serviço norte-americano.

Ministros orçamentários da União Européia concordaram, no ano passado, em direcionar os recursos públicos não utilizados, a maior parte deles reservados para subsídios agrícolas, para cobrir um déficit de 2,4 bilhões de euros deixado pelo abandono de um grupo de companhias privadas, que temia pela lucratividade do projeto.

Entre as empresas estavam a EADS, a francesa Thales e Alcatel-Lucent, a britânica Immarsat, a italiana Finmeccanica, as espanholas AENA e Hispasat e um grupo alemão, que incluía a Deutsche Telekom .

(Reportagem de Marcin Grajewski)