Mercado diverge sobre chance de oferta da News Corp para Yahoo

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 10:01 BRST
 

Por Kenneth Li e Eric Auchard

NOVA YORK/SAN FRANCISCO (Reuters) - O Yahoo está negociando um possível acordo com a News Corp, mas analistas dizem que é improvável que surja uma oferta para competir com o valor oferecido pela Microsoft, avaliado em 42,1 bilhões de dólares.

Rumores sobre negociações envolvendo uma possível combinação das propriedades das duas empresas na Web surgiram inicialmente no blog Sillicon Alley Insider, na segunda-feira, segundo o qual uma das propostas envolveria uma injeção de capital feita pela News Corp., de Rupert Murdoch, e por um fundo de capital privado não identificado.

Uma fonte próxima da situação disse que o Yahoo e a News Corp. estavam conversando sobre uma transação, mas não quis confirmar quaisquer detalhes.

O Wall Street Journal publicou que o negócio em discussão daria à News Corp mais de 20 por cento de participação no Yahoo. Segundo o jornal, as negociações avaliam o site de redes sociais MySpace, da News Corp, em entre 6 bilhões e 10 bilhões de dólares.

"Quaisquer opções que não a Microsoft envolvem... possíveis consequências sérias", disse Jeffrey Lindsay, analista da Sanford C. Bernstein. "Os executivos demoraram demais para sair em busca de uma alternativa. Eles terminaram por se encurralar."

Os analistas dizem que alternativas como a parceria com a News Corp. poderiam oferecer benefícios estratégicos de longo prazo ao Yahoo, mas não dariam aos seus acionistas um retorno imediato sobre os investimentos, como a oferta de 31 dólares por ação apresentada pela Microsoft.

Assim, se a oferta da Microsoft não tiver sucesso, os analistas esperam uma queda no valor das ações do Yahoo, que estavam sendo negociadas abaixo dos 20 dólares um dia antes que a oferta da Microsoft fosse anunciada.

"É difícil imaginar que Rupert esteja disposto a colocar capital suficiente na transação para torná-la interessante aos acionistas do Yahoo", disse Jordan Rohan, da RBC Capital, acrescentando que o preço oferecido pela Microsoft impõe um obstáculo quase que intransponível a ofertas alternativas.