"The Club", um game onde o que importa é o estilo

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 14:50 BRST
 

Por Scott Hillis

SAN FRANCISCO (Reuters) - A safra recorde de jogos de combate do ano passado, com títulos como "BioShock", "Halo 3" e "Call of Duty 4", foi notável pela mistura de realismo chocante e histórias épicas cinzeladas com o maior cuidado. Mas "The Club", que a Sega lançará na semana que vem, promete algo um pouco diferente.

Não há uma batalha para salvar a humanidade, nenhum mundo detalhado a explorar, nenhuma necessidade de estudar estratégia ou tática militar. Em lugar disso, "The Club" se resume a duas coisas: quantos inimigos você consegue eliminar a tiros e com que velocidade?

O game tem uma história de mistério em que o jogador pode escolher ser um entre oito personagens, como um adepto dos esportes radicais ou um corpulento caçador russo, que é atraído a um esporte clandestino e sangrento disputado para a diversão de fãs ricos.

A trama serve como desculpa, se é que isso era necessário, para abrir caminho a tiros por uma fábrica ou combater levas de inimigos enquanto o jogador tenta sobreviver até o fim de cada estágio.

"Caso você esteja comparando o jogo a 'Gears of War', 'Halo', 'Call of Duty', eles com certeza são mais realistas, mas nosso objetivo era uma cena mais urbana, mais rude, mais bruta", disse Omar Woodley, produtor de "The Club" na Sega of America .

A diferença de "The Club" e os outros títulos é que nesse jogo você acumula pontos pelo número de adversários eliminados, e caso os elimine a intervalos curtos, recebe bônus que multiplicam os pontos. Pontos extras são concedidos por jogadas de estilo, como tiros na cabeça ou derrubar uma porta para abater os inimigos do outro lado.

"The Club" lembra os dias dos fliperamas, quando o objetivo dos videogames era uma pontuação elevada e o sucesso era recompensado com o nome do jogador brilhando acima dos adversários no painel da máquina.

O jogo foi desenvolvido pela Bizarre Creations, do Reino Unido, que aproveitou os elementos básicos de seu elogiado "Project Gotham Racing", um jogo de corrida que premia manobras cheias de estilo, como derrapadas.   Continuação...