Pesquisa aponta Claro como líder em áreas metropolitanas

quarta-feira, 16 de abril de 2008 10:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Claro assumiu em fevereiro a liderança do mercado de telefonia celular nas oito principais áreas metropolitanas do país, superando TIM e Vivo, mostrou uma pesquisa semestral do Morgan Stanley divulgada nesta quarta-feira.

Segundo a corretora, em fevereiro, a Claro, do grupo mexicano América Móvil, obteve participação de 27 por cento nas áreas metropolitanas, avançando 3 pontos percentuais sobre o registrado no mesmo período do ano passado.

A TIM, que na pesquisa liderava o mercado em fevereiro de 2007 com fatia de 27 por cento, aparece agora com 24 por cento. Enquanto isso, a Vivo, perdeu 2 pontos percentuais, para 21 por cento, mas segundo a corretora sua posição pode ser considerada estável pois ficou dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais.

A Oi também ganhou 3 pontos percentuais no período do levantamento para 22 por cento.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), deve divulgar nos próximos dias consolidação dos números do mercado para o país sobre todo no primeiro trimestre. Até fevereiro, pelos números oficiais da agência, a Vivo seguia na liderança com participação de 27,32 por cento, seguida por TIM com 26,06 por cento, Claro com 24,8 por cento e Oi com 13,54 por cento.

De acordo com os números preliminares da agência disponíveis nesta quarta-feira o mercado brasileiro de telefonia celular fechou março com 125,81 milhões de linhas ativas, avanço de 1,36 por cento sobre fevereiro e de 23,16 por cento sobre março de 2007.

"A pesquisa chancela a visão no mercado que a TIM está perdendo momento entre as empresas e que a Vivo está conseguindo manter sua posição no mercado", disse à Reuters Guilherme Assis, que assina a pesquisa juntamente com os analistas Vera Rossi e Davis Bell.

"É um retrato da situação em fevereiro, mas a gente não usa isso para balizar as previsões de resultado para o trimestre", acrescentou.

O levantamento do Morgan Stanley foi feito entre 1.500 pessoas com mais de 18 anos das classes A, B e C em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Curitiba.   Continuação...