Thomson Reuters estréia em meio a tensão no mercado global

quarta-feira, 16 de abril de 2008 22:48 BRT
 

Por Gavin Haycock e Robert MacMillan

LONDRES/NOVA YORK (Reuters) - A Thomson Reuters estréia na quinta-feira como maior empresa de informações do mundo, esperando que um portfólio de produtos, dos financeiros até os vinculados a saúde, ajudem a empresa a passar pelo momento de baixa da indústria financeira.

Os papéis da companhia, formada pelos mais de 16 bilhões de dólares em dinheiro e ações da Thomson com a compra da Reuters, vão começar a ser negociados em Londres, Toronto e Nova York .

A nova Thomson Reuters, liderada pelo ex-chefe da Reuters Tom Glocer, vende notícias eletrônicas e dados a operadores, administradores de fundos e analistas, além de bancos de dados e outras informações a advogados, contadores, cientistas a à indústria de saúde.

A fusão permitirá à Thomson expandir seu negócio de dados financeiros a partir da sua base norte-americana, somando as forças da Reuters. O negócio deve ajudar a Reuters a reduzir sua exposição aos mercados financeiros, que têm sido afetados pela crise do crédito.

A nova empresa, com sede em Nova York, tem receita anual de 12,5 bilhões de dólares, 50.000 funcionários e mais de 40.000 clientes em 155 países.

Glocer, ex-advogado de fusões e aquisições, espera que a empresa forneça "informação inteligente" pela qual as pessoas vão pagar.

"O que eu acho que é mais interessante é que todas essas unidades vão trabalhar juntas no longo prazo", disse ele em entrevista à Reuters.

Analistas esperam que as ações da Thomson Reuters listadas em Londres sejam negociadas com um ágio de 15 por cento sobre os papéis listados em Toronto, devido à natureza em mudança da base de acionistas da nova empresa.   Continuação...