Nova tecnologia promete Web sem fio quatro vezes mais rápida

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 12:20 BRT
 

Por Sinead Carew

BARCELONA (Reuters) - Uma tecnologia para comunicação sem fio de alta velocidade que está em desenvolvimento promete tornar a navegação sem fio pela Web quatro vezes mais rápida, mas seu impacto sobre o setor de equipamento para redes não será tão dramático, de acordo com executivos do setor.

Diversas grandes operadoras de telefonia móvel anunciaram que criarão redes com a tecnologia emergente conhecida como Long Term Evolution (LTE), o que reforçou o interesse por esse sistema e gerou notícias que fizeram dela um dos destaques do World Mobile Congress, em Barcelona, na semana passada.

A China Mobile, maior operadora mundial de telefonia móvel em número de clientes, anunciou esta semana que testaria a LTE. A Alcatel-Lucent e a NEC, do Japão, assinaram um acordo de joint-venture sob o qual combinarão seus esforços de desenvolvimento e comercialização da nova tecnologia. Até mesmo a Qualcomm prometeu desenvolver chips para a LTE, que concorre com sua tecnologia Ultra Mobile Broadband.

A LTE promete tornar todas tarefas como uso de vídeo e download de música mais rápidas em uma rede móvel, mas pode não propiciar estímulo às vendas do setor de equipamentos para redes em curto prazo, porque as primeiras redes a utilizar a nova tecnologia devem ser instaladas apenas dentro de dois anos, e muitas operadoras podem esperar ainda mais, até que o sistema amadureça.

"Eu não pensaria na LTE como salvadora", disse Simon Beresford-Wylie, presidente-executivo da Nokia Siemens, a joint-venture de equipamentos para redes da Nokia e Siemens .

"Vamos começar a ver a LTE surgindo no mercado em 2010, 2011, 2012, mas a vida do HSPA será longa", disse ele sobre a tecnologia que a AT&T, maior operadora de telefonia móvel norte-americana, ainda está terminando de instalar em sua rede. A AT&T também planeja usar a LTE no futuro.

Godfrey Chua, analista de equipamento para redes no grupo de pesquisa IDC, disse que mesmo que muitas operadoras comecem a operar redes LTE em 2010, a tecnologia serviria apenas para ajudar a impedir o declínio do setor de equipamento para redes, em lugar de promover uma alta de vendas maciça.