Anúncios do AMD "Fusion" se concentram em recursos gráficos

quinta-feira, 18 de setembro de 2008 11:10 BRT
 

Por David Lawsky

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - Pode esquecer as especificações. A fabricante de chips para computadores Advanced Micro Devices está se reposicionando mostrando folhas, lagostas e um adolescente que toca guitarra.

Em lugar das características técnicas que os fãs de tecnologia tanto apreciam, a nova campanha publicitária da empresa, que começa a ser veiculada na quinta-feira, se concentra em como seus chips podem oferecer aos consumidores uma "experiência de usuário" melhorada, em contraste com a rival Intel, especialmente no que tange a recursos gráficos.

A empresa ocupa um segundo posto distante com relação à Intel no mercado de microprocessadores que equipa o bilhão de computadores pessoais em operação no mundo.

Os novos anúncios enfatizam a experiência da AMD no projeto de chips gráficos e como essa competência foi reforçada e integrada aos seus produtos com a aquisição, em 2006, da fabricante de chips gráficos ATI. Para reforçar ainda mais a idéia, "Fusion" é o lema que aparece em um círculo branco em cada peça da campanha.

"A idéia por trás da fusão é tomar tecnologias e aproximá-las", disse Nigel Dessau, vice-presidente de marketing da AMD. A campanha se concentra em como os chips são utilizados. Mostra um adolescente usando o software Rain Recording, uma folha para simbolizar a redução nas emissões de carbono com a ajuda da IBM e a imagem de uma lagosta da OTOY, uma produtora de videogames.

A campanha Fusion substitui a anterior, que destacava "uma escolha mais inteligente" como assinatura e representa a última ocasião em que a AMD recorreu à publicidade para ganhar destaque e se sair bem na temporada de festas de final de ano.

Como parte da campanha, haverá software gratuito para download no site da AMD, o qual, segundo a empresa, pode acelerar o sistema operacional Windows Vista para pessoas que usam o computador para jogos.

"Isso dá um acabamento melhor à marca deles", disse Roger Kay, analista do setor de computadores na Endpoint Technologies Associates.   Continuação...