ANÁLISE-Com o tempo, Telefónica deve assumir Telecom Italia

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 18:37 BRST
 

Por Mathias Wildt e Elisabeth O'Leary

MILÃO/MADRI (Reuters) - O grupo espanhol de telecomunicações Telefónica alega que a participação que detém na Telecom Italia serve apenas para influenciar a estratégia do grupo italiano, mas analistas afirmam que esse é o primeiro passo rumo ao controle efetivo da empresa.

"A Telefónica tem mais 'amore' pela Telecom Italia do que as pessoas imaginam", disse Robert Grindle, analista de telecomunicações do banco de investimento inglês Dresdner Kleinwort.

Depois de ter tentado comprar a Telecom Italia em 2001, o grupo espanhol se uniu a instituições financeiras italianas em outubro para adquirir a fatia controlada pela Pirelli na ex-monopolista italiana, que tem valor de mercado de 39 bilhões de euros (56 bilhões de dólares).

Tomar as rédeas do quinto maior grupo telefônico da Europa daria à Telefónica controle da principal operadora na Itália, com margem de lucro de cerca de 45 por cento, muito acima da dos concorrentes na região, bem como importantes operações no Brasil e na Argentina.

"A importância estratégica deste acordo para a Telefónica é exemplificada pelo fato de que eles colocaram seus principais executivos no conselho da Telecom Italia", apontou Alessandro Frigerio, gerente de fundos da RMJ, em Milão, referindo-se ao presidente do conselho da Telefónica, Cesar Alierta, e ao número dois, Julio Linares.

"Esse é um sinal importante. Pouco a pouco, e não agressivamente, a Telefónica assumirá a Telecom Italia."

A Telefónica preferiu não comentar o assunto. A empresa afirmou que a compra de participação indireta de 10 por cento é suficiente para influenciar estrategicamente a Telecom Italia e que as duas companhias podem economizar até 500 milhões de euros por ano em operações conjuntas.

É SÓ O BRASIL?   Continuação...