23 de Junho de 2008 / às 13:28 / 9 anos atrás

Protótipo de robô da NEC diverte crianças e cuida de idosos

<p>Prot&oacute;tipo de rob&ocirc; da NEC diverte crian&ccedil;as e cuida de idosos. Eles ainda n&atilde;o s&atilde;o propriamente um neg&oacute;cio para a japonesa NEC Corporation. Mas sempre que um novo prot&oacute;tipo de rob&ocirc; desenvolvido pelos pesquisadores da empresa &eacute; demonstrado, surge a pergunta: quando ele come&ccedil;a a ser vendido?. Photo by $Byline$</p>

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - Eles ainda não são propriamente um negócio para a japonesa NEC Corporation. Mas sempre que um novo protótipo de robô desenvolvido pelos pesquisadores da empresa é demonstrado, surge a pergunta: quando ele começa a ser vendido?

Os brasileiros conheceram um dos mais recentes exemplos de robôs desenvolvido pela equipe de pesquisadores da corporação japonesa, que até o próximo domingo deve manter a rotina de filas no estande da companhia na Semana da Cultura Brasil-Japão, no Parque de Exposições do Anhembi, como parte das comemorações dos 100 anos da imigração japonesa ao país.

O Partnertype Personal Robot (PaPeRo) foi desenvolvido para ser companheiro de crianças e idosos e dispõe de sensores que lhe permitem responder a sons e toques, além de ter câmeras que fazem com que ele reconheça as pessoas depois da identificação com as imagens em seu banco de dados.

Desta forma, ele pode não só distrair o público infantil como servir de “acompanhante virtual” para as pessoas mais velhas, além de ser capaz de acionar aparelhos na casa, como televisores e aparelhos de som.

Junichi Osada, senior design do grupo de desenvolvedores da NEC Corporation, explicou à Reuters que “o desenvolvimento de robôs ainda está em estágio bastante embrionário” dentro da companhia e que ainda não existem planos de levá-los ao mercado.

Os pesquisadores desenvolvem protótipos desde 1997, com a criação de um novo modelo a cada dois anos, em média. “A idéia é testar o mercado e ir aprimorando cada novo modelo”, explicou Osada.

No caso do PaPeRo, várias das tecnologias desenvolvidas pela companhia foram agrupadas. Os sensores permitem que ele ouça e identifique de onde veio um som, além de responder a toques.

Ele também pode responder a saudações, criando um chamado para cada pessoa com a qual convive. Por enquanto, o PaPeRo só consegue se comunicar em japonês, mas a companhia explica que seus proprietários poderiam baixar arquivos de Internet para ampliar seu vocabulário e acrescentar idiomas na sua linguagem.

O robô se movimenta por meio de três rodas e seus sensores impedem que ele dê “trombadas” com móveis e pessoas dentro da casa.

O modelo exposto até o próximo domingo no Anhembi é capaz, inclusive, de “sambar” e de emitir sons quando acariciado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below