Dell comprará US$52 bilhões em componentes da China até 2009

quinta-feira, 20 de março de 2008 11:03 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A fabricante de computadores Dell planeja comprar 23 bilhões de dólares em componentes da China este ano e 29 bilhões de dólares em 2009, medida que a empresa espera que a ajude a reduzir custos enquanto seu principal mercado, os Estados Unidos, enfrenta uma recessão.

Para a companhia, a "comoditização" da indústria de computadores faz a competição ser mais regida pelo preço e eficiência do que qualidade e marca, levando a China a se tornar um mercado favorável para o fornecimento de itens como componentes eletrônicos.

"A China é um país crítico para a cadeia de suprimentos global da Dell", disse o fundador e principal executivo da companhia, Michael Dell, a jornalistas nesta quinta-feira.

"A Dell vai comprar o equivalente a 70 bilhões de dólares em partes e peças de computador da China", disse ele, referindo-se ao programa total de compras da companhia no período 2007-2009.

Segunda maior fabricante mundial de computadores, a Dell está longe de ser a única companhia que se volta para a China em busca da redução de custos na manufatura e da manutenção da competitividade.

Em novembro passado, a Cisco Systems informou que iria duplicar o volume de compras adquiridas de fornecedores chineses nos próximos cinco anos para 16 bilhões de dólares. A empresa é a maior fabricante mundial de roteadores e switches, equipamentos que fazem a comunicação de computadores com a Internet.

Fabricantes de hardware como Cisco, Dell e Hewlett-Packard podem sofrer com a crise econômica norte-americana. A Dell, no entanto, pode sentir ainda mais os efeitos, já que cerca de metade de sua receita vem dos Estados Unidos, proporção que é muito menor na HP, por exemplo.

Por isso, a China desempenha um papel importante na estratégia da Dell, que teve uma elevação de 54 por cento em suas vendas por unidades no último trimestre fiscal.

"A China é um dos mercados mais dinâmicos e de crescimento mais acelerado no mundo neste momento e nós fizemos importantes negócios e investimentos sociais aqui nos últimos 10 anos", disse Michael Dell.   Continuação...