China publica "lista negra" de sites de vídeos na Web

quinta-feira, 20 de março de 2008 13:23 BRT
 

XANGAI (Reuters) - Autoridades chinesas ordenaram nesta quinta-feira que 25 sites de compartilhamento de vídeos interrompam suas operações e ainda alertou dezenas de outros sites, apertando o cerco contra o conteúdo online em um movimento que pode provocar temor de investimentos futuros no setor no país.

Entre os websites alertados pelas autoridades está o Tudou.com, apoiado por uma unidade da empresa de capital de risco IDG. Ele recebeu um aviso oficial para coibir a disseminação de conteúdo pornográfico, violento e político em suas páginas.

Empresas de capital de risco como Sequoia, IDG e Steamboat Ventures já fizeram aportes no setor de Internet chinês -- considerado hoje o maior mercado de Internet do mundo -- na busca do que será o próximo YouTube.

No ano passado, no entanto, o governo informou que somente empresas estatais ou controladas pelo governo poderão se candidatar a licenças para a distribuição de vídeos pela Web em sistema broadcast ou streaming.

A falta de clareza nessas definições e as incertezas sobre o grau de restrições que o governo imporá ao mercado deixou a indústria confusa.

Tudou, um dos sites de distribuição de vídeos mais populares da China, cuja operação foi temporariamente suspensa na semana passada, informou que recebeu um alerta oficial antes da declaração informada nesta quinta.

"Estamos trabalhando para atualizar nossos sistemas para que eles filtrem tudo o que precisar ser filtrado", afirmou Dan Brody, vice-presidente da companhia, por telefone.

"Este foi só um alerta de que todos precisam manter seus conteúdos limpos", afirmou Brody, antigo executivo do Google.

LISTA NEGRA   Continuação...