Celulares beneficiam LG no 2o tri, mas perspectiva é obscura

segunda-feira, 21 de julho de 2008 15:44 BRT
 

Por Marie-France Han e Rhee So-eui

SEUL (Reuters) - A LG Electronics elevou seu resultado trimestral em 84 por cento, com forte desempenho na área de telefonia móvel e de sua joint venture de LCD, mas a companhia sul-coreana enfrenta um segundo semestre mais difícil em meio à desaceleração da economia mundial.

A LG previu que as receitas devem diminuir no terceiro trimestre, dada a redução dos gastos dos consumidores com aparelhos de alto preço, e o vice-presidente de finanças alertou que a desaceleração mundial pode durar até 18 meses.

"Estamos cautelosos quanto às perspectivas do segundo semestre", disse o vice-presidente financeiro, David Jung. "Vimos o impacto da desaceleração em nossos pedidos, de junho para cá."

As ações da LG, cujo valor de mercado supera 16 bilhões de dólares, fecharam em alta de 4,1 por cento, depois de uma alta de quase 7 por cento antes do anúncio dos resultados.

Muitos analistas consideravam que o trimestre de abril a junho representaria um pico no ano. O lucro trimestral líquido da LG foi recorde, mas ficou abaixo das projeções de analistas devido a prejuízos relacionados ao câmbio e a impostos.

"Existem diversos riscos no segundo semestre do ano e em 2009, que incluem a desaceleração mundial do mercado de celulares e o enfraquecimento do mercado de telas devido ao excesso de oferta", afirmou Jason Kang, analista da Daewoo Securities.

A LG, quarta maior fabricante mundial de eletrônicos, depois de Nokia, Samsung Electronics e Motorola, espera que as margens e as vendas do setor de celulares caia no terceiro trimestre --ainda que as margens devam ficar acima de 10 por cento, depois de atingir o recorde de 14,4 por cento entre abril e junho.

A LG vendeu o recorde de 27,7 milhões de celulares no trimestre, ante 24,4 milhões de janeiro a março.

(Reportagem adicional de Miyoung Kim, Angela Moon e Park Ju-min)