Internautas chineses são mais propensos a se "viciarem" na Web

sexta-feira, 23 de novembro de 2007 11:27 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Os internautas chineses são mais propensos a depender de suas experiências online e vêem a Web como parte importante de sua sociabilização e de troca de opiniões, mais que os norte-americanos, afirma uma pesquisa publicada na sexta-feira.

Um estudo feito em ambos os países com mais de 2.100 internautas com idades entre 16 e 25 anos mostrou que cerca de 42 por cento dos usuários da Web na China afirmam que sentem-se "viciados" em navegação pela rede mundial de computadores. Nos Estados Unidos a proporção é de 18 por cento.

O levantamento foi conduzido pelo conglomerado IAC/InterActiveCorp e pela agência de publicidade JWT, parte do WPP Group.

As pesquisas foram realizadas online em novembro, em inglês e chinês. Os dados mostram que cerca de 10 por cento da população da China usa a Internet, com a maior proporção dela composta por público masculino jovem que mora nas principais cidades do país.

Quase 25 por cento dos internautas chineses afirmam que não seriam capazes de passar mais de um dia sem Internet, ante 12 por cento nos Estados Unidos.

Menos de um terço dos norte-americanos afirma que a Internet contribui na vida social, mas 77 por cento dos internautas chineses dizem que a Web os ajudou a fazer amigos.

Enquanto isso, quase três quartos dos internautas da China afirmam que são livres para fazer e dizer coisas que não fariam ou diriam no mundo real. O índice é 32 por cento nos EUA.