Vício por tecnologia pode destruir relações, diz especialista

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008 15:16 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - A tecnologia tem o poder de ser tão viciante quanto álcool e drogas e também pode destruir relacionamentos pessoais e profissionais, disse um especialista.

John O'Neill, diretor de tratamento de vícios da Clínica Menninger em Houston, Texas, refere-se a isso como "sobrecarga de tecnologia" após ver comportamento compulsivo em seus pacientes quanto a telefones celulares ou e-mails.

"Eu acho que eles dividem alguns dos mesmos componentes que pessoas viciadas em álcool ou drogas, quando começamos a ver que alguém realmente não pode deixar isso de lado e parar de usá-lo mesmo quando há consequências", disse O'Neill em uma entrevista por telefone.

"Nós podemos nos sobrecarregar pela tecnologia e sofrer as consequências em nossos relacionamentos", acrescentou.

As observações de O'Neill são apoiadas por psicólogos que classificaram o vício por tecnologia como uma doença impulsiva que pode ser tão danosa socialmente quanto o alcoolismo, vício em jogo e drogas.

A organização Internet/Computer Addiction Services localizada em Redmond, Estado norte-americano de Washington, que promove programas de tratamento e terapia, estima que entre 6 e 10 por cento dos cerca de 189 milhões de usuários de Internet dos Estados Unidos são dependentes de tecnologia.

O'Neill complementou que são sinais de relação insalubre com a tecnologia o uso de mensagem de texto, e-mail e mensagem de voz quando o contato pessoal seria mais apropriado, ou limitar o tempo com amigos e família para verificar e-mails, retornar ligações ou navegar na Internet.

Mas o especialista disse também que não há motivo para ficar preocupado sobre o uso diário de mensagens de texto e e-mails.

(Reportagem de Stefanie Kranjec)