Ações da Motorola têm maior queda em 5 anos

terça-feira, 24 de junho de 2008 08:59 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - As ações da Motorola caíram 7 por cento na segunda-feira, a maior queda em cinco anos, depois que analistas reduziram a avaliação da fabricante de equipamentos diante do medo de que a empresa não consiga interromper as perdas de participação de mercado na América do Norte.

O analista T. Michael Walkley, da Piper Jaffray, reduziu sua recomendação para os papéis da Motorola de "neutro" para "vender" e o preço-alvo de 9,75 dólares para 7 dólares, diante das preocupações com a queda na participação de mercado.

"Nossas análises mostram declínio nas vendas da Motorola para todas as quatro maiores operadoras da América do Norte", escreveu o analista.

O mercado norte-americano representa quase metade das vendas globais, em unidades, para a Motorola. A companhia, número 3 no ranking mundial de vendas de celulares está sob pressão por ter fracassado em apresentar um modelo de telefone móvel de sucesso desde o lançamento do Razr, no final de 2004.

O analista Matt Thornton, da Avian Securities, também disse nesta segunda-feira que suas pesquisas o levaram a cortar o rating da Motorola de "positivo" para "neutro".

O rebaixamento, que seguiu movimento similar da corretora RBC na semana passada, levou as ações a uma queda de 0,56 dólar, a 7,38 dólares, no meio da tarde.

Os papéis da companhia perderam quase 60 por cento de seu valor desde o ano passado.

Além de enfrentar a concorrência do iPhone da Apple, a Motorola também sofre com a decisão da Sprint Nextel, desde a última quarta-feira, de vender o novo modelo da Samsung de tela sensível ao toque por 130 dólares, com subsídio.

O mercado mostrou pouca reação ao anúncio da Motorola do lançamento do modelo ZN5, nesta segunda-feira, em uma parceria com a Eastman Kodak .   Continuação...