China quer conquistar fatia maior do mercado de satélites

sexta-feira, 25 de julho de 2008 12:08 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China quer montar uma indústria espacial de ponta até 2015, quando o país deverá comandar 10 por cento do mercado de satélites comerciais e 15 por cento do mercado de lançamentos, afirmou a agência de notícias chinesa Xinhua nesta sexta-feira.

Pequim planeja dobrar o número de pesquisas científicas aeroespaciais e bases de produção para oito, segundo a Xinhua, que citou um projeto divulgado pela estatal Corporação de Tecnologia e Ciência Aeroespacial da China (CTCAC).

O primeiro objetivo é oferecer um pacote de serviços aos clientes, incluindo pesquisa, produção e testes, de acordo com a Xinhua.

"Até 2015, a CTCAC terá 10 por cento do mercado internacional de satélites e 15 por cento o mercado mundial de serviço de lançamentos comerciais", afirma o projeto da estatal, segundo a Xinhua.

Em abril, a Boeing, uma das empresas líderes do setor aéreo, afirmou que os Estados Unidos estão correndo perigo de perderem a liderança no espaço para países como China e Índia, se não houver grandes aumentos nos investimentos feitos pelo governo.

Em 2007, o investimento dos Estados Unidos no setor espacial subiu 3,4 por cento ante 2006, enquanto em outros países o salto foi de 12 por cento, segundo relatório da empresa Space Foundation.

No ano passado, a China realizou 50 lançamentos espaciais bem sucedidos por meio de seus foguetes Longa Marcha, enviando 43 satélites desenvolvidos no país, seis espaçonaves e uma sonda lunar em órbita, afirmou a Xinhua.

O país já realizou dois vôos tripulados bem sucedidos em 2003 e 2005 e o próximo está planejado para outubro deste ano.