IBM atualiza linha de mainframes mais atenta a uso de energia

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 11:01 BRT
 

Por Philipp Gollner

SAN FRANCISCO (Reuters) - A IBM lança a mais nova atualização de seu poderoso mainframe nesta terça-feira, uma máquina mais eficiente em termos de uso de energia que a empresa espera ser capaz de competir com computadores de ponta produzidos por rivais como Hewlett-Packard e Sun Microsystems .

O novo mainframe, como versões anteriores que datam do século passado, oferece uma estrutura unificada de computação para o processamento de dados em larga escala, dirigida a clientes como bancos, seguradoras e grupos de varejo.

Primeira atualização de mainframe a ser lançada desde 2005, o novo modelo oferece mais segurança e maior eficiência no consumo de energia, o que atende a duas preocupações dos clientes, que desejam conter a disparada nos custos das centrais de processamento de dados e enfrentar as crescentes ameaças de segurança, disse a IBM.

O mainframe do tamanho de uma geladeira, chamado System z10, entrou no mercado na terça-feira, a preço inicial de pouco menos de 1 milhão de dólares. A máquina é 50 por cento mais rápida que o modelo precedente, o z9, e oferece capacidade de computação até 70 por cento mais alta. A IBM afirma que sua eficiência energética também é superior.

Os mainframes, no passado o produto principal da IBM e uma fonte confiável de receita devido ao software e serviços que sua operação exigia, agora respondem por proporção menor do faturamento do grupo, que vem enfatizando serviços de tecnologia e software, segmentos nos quais a lucratividade atualmente é mais elevada.

A receita da IBM com mainframes caiu 15 por cento no quarto trimestre, em larga medida porque os clientes optaram por esperar pelo novo modelo antes de trocar de máquina. A receita da IBM com hardware caiu três por cento em 2007, para 21,3 bilhões de dólares, o equivalente a 22 por cento do faturamento total de 98,8 bilhões de dólares auferido pela empresa no período.

A IBM faturou oito por cento a mais no quarto trimestre de 2007 em relação ao mesmo período de 2006, quando suas vendas foram de 91,4 bilhões de dólares.