Comunicador instantâneo da Holanda desembarca no Brasil

quarta-feira, 28 de maio de 2008 13:44 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A Nimbuzz, empresa criada há dois anos na Holanda e que tem hoje entre seus investidores a Naspers e o fundo Mangrove, chegou ao mercado brasileiro para trazer seu modelo de comunicador instantâneo que une celular, computador e redes sociais. A companhia, no entanto, não espera gerar receita até a segunda metade de 2009.

Criada por dois holandeses em 2006, a Nimbuzz recebeu 10 milhões de dólares de aporte da Mangrove Capital Partners, investidora também do Skype, e cerca de 10 milhões de euros da sul-africana Naspers, que em 2006 também adquiriu 30 por cento do grupo brasileiro de mídia Abril.

A presença da Naspers no mercado brasileiro foi um dos atrativos para que a companhia decidisse montar aqui um dos seus primeiros escritórios fora do país de origem, segundo Carlos Medina, diretor geral da Nimbuzz no país, em encontro com a imprensa nesta quarta-feira.

Além disso, a empresa se viu atraída pelo número de usuários de celular, redes sociais e comunicadores instantâneos do Brasil.

O país tem hoje algo como 127 milhões de celulares, além de 30 milhões de usuários de Messenger -- comunicador instantâneo da Microsoft -- e 20 milhões de cadastrados na rede social Orkut, do Google. "Aqui devemos ter uma aceitação muito rápida", afirmou Medina.

O software da Nimbuzz permite realizar chamadas de voz ou trocar mensagens de texto, além de compartilhar arquivos por redes sociais de qualquer tipo. Também não há restrição ao modelo de celular ou ao sistema de troca de mensagens instantâneo utilizado.

Os serviços ao usuário são gratuitos e o modelo de negócios da companhia se baseia em venda de publicidade e compartilhamento de receita.

Até o momento, entretanto, a Nimbuzz ainda não gerou nenhum tipo de receita aos investidores. "A empresa ainda é uma start up", disse Medina.   Continuação...