Grupo de investimento comprará 3Com por US$2,2 bilhões

sexta-feira, 28 de setembro de 2007 15:12 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A fabricante de equipamentos para comunicações 3Com anunciou nesta sexta-feira que concordou em ser comprada pela empresa de investimentos Bain Capital Partners por cerca de 2,2 bilhões de dólares em dinheiro. As ações da 3Com disparavam quase 35 por cento após o anúncio nos Estados Unidos.

O acordo também dará à fabricante chinesa de produtos de telecomunicações Huawei Technologies [HWT.UL] uma participação minoritária na companhia norte-americana.

Sob os termos do acordo, os acionistas da 3Com vão receber 5,3 dólares em dinheiro por ação, representando um ágio de 44 por cento sobre o preço de fechamento das ações da empresa na quinta-feira, informou a 3Com.

"Huawei provavelmente ganha muito com essa transação e agora possui uma entrada no mercado norte-americano", escreveu Mark Sue, analista da RBC, em nota a clientes.

O acordo é anunciado seis meses depois da Huawei vender para a 3Com 49 por cento das ações de sua joint-venture, H3C, que foi criada em 2003 para fazer pesquisa e desenvolvimento. A parceria deu acesso à 3Com ao mercado asiático e para a Huawei abriu as portas aos mercados norte-americano e europeu.

Manuel Recarey, analista da Kaufman Bros, disse que o investimento da Huawei na 3Com dará à companhia chinesa uma rede de distribuição fora da China e pode ajudar a empresa a disputar clientes corporativos nos Estado Unidos e Europa.

Recarey estima que metade da receita da 3Com vem da China, menos de 20 por cento dos Estado Unidos, outros 20 por cento da Europa, Oriente Médio e África e 5 por cento da América Latina.

A 3Com vende equipamentos de comunicação a pequenas e médias empresas, mas tem sido atingida pelo recente foco da gigante Cisco nesse mercado, afirmam analistas. A 3Com divulgou prejuízo trimestral este mês, afetada por crescentes custos com pesquisa e desenvolvimento.

A Bain é uma das maiores empresas de investimentos do mundo. O acordo com a 3Com pode ser um sinal positivo para a indústria, cuja atividade de fusões e aquisições foi drasticamente reduzida pela crise nos mercados de crédito.

A 3Com espera que a transação seja concluída no quarto trimestre.