Escamas de peixe podem inspirar armadura do futuro

segunda-feira, 28 de julho de 2008 12:16 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Escamas que protegem um peixe brigão das mordidas de seus próprios colegas e de predadores podem abrigar a solução para o desenvolvimento da armadura do futuro, afirmaram pesquisadores norte-americanos no fim de semana.

O design leve, de várias camadas das escamas tem ajudado o peixe Polypterus senegalus a sobreviver há 96 milhões de anos, afirma uma equipe de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology.

Escrevendo à publicação Nature Materials, a equipe do MIT afirma que descobriu como a armadura de proteção do peixe funciona. Cada escama é sobreposta para que dissipe a pressão de uma mordida poderosa, afirmaram os cientistas.

Rachaduras não vão muito longe. O design das escamas força as fissuras a correrem em círculo ao redor do local do impacto, em vez de correrem por toda a escama e levando a um fracasso completo da proteção, segundo os pesquisadores.

"Muitos dos princípios do design que descrevemos --interfaces duráveis e mecanismos de dissipação de energia, por exemplo-- podem ser transpostos para sistemas de armaduras para humanos, afirma Christine Ortiz, do MIT, responsável pela pesquisa.

Com recursos do Exército dos Estados Unidos, Ortiz e seus colegas estudaram cuidadosamente as escamas do P. senegalus, que vive águas rasas e estuários na África. O animal foi escolhido por sua pesada armadura.

"Os principais predadores do P. senegalus conhecidos são a própria espécie ou parentes vertebrados carnívoros, e as mordidas acontecem durante disputas por território ou alimento", disseram Ortiz e seus colegas no estudo.

O peixe desenvolveu sua armadura há milhões de anos, quando temíveis predadores existiam. "Nos tempos antigos, muitos predadores invertebrados grandes existiam. Por exemplo, o carnívoro euripterídeo (escorpião do mar) era um artrópode gigante que tinha mandíbulas poderosas, garras, espinhos e uma cauda com ferrão", escreveu a equipe de cientistas.