ESPECIAL-Teles restringem discussão de balanços com a imprensa

quarta-feira, 30 de julho de 2008 18:04 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - As operadoras de telecomunicações, em sua maioria de capital aberto, estão cada vez mais "silenciosas" quando se trata de discutir o balanço de desempenho trimestral com a imprensa.

O exemplo mais recente desse movimento veio da Vivo, que pela primeira vez em pelo menos sete anos não concedeu entrevista coletiva à imprensa em sua sede na data da divulgação, nesta quarta-feira, resolvendo atender a pedidos individuais de jornalistas.

A imprensa ficou restrita a uma participação como "ouvinte" na teleconferência da Vivo com analistas, onde os executivos da operadora evitaram comentar perspectivas para o ano.

"Essa perda de contato é muito ruim porque a imprensa não vai deixar de escrever e pode até ter uma interpretação errada de alguns dados do resultado", disse à Reuters Eduardo Roche, analista da Modal Asset Management.

No que se refere à divulgação de perspectivas para os demais trimestres, Roche lembra que a decisão de não falar mais "é uma mudança de postura que já vem acontecendo há algum tempo" por parte das operadoras.

A legislação brasileira, no entanto, "não é bem definida" sobre essa questão, na opinião do analista. "A Oi fornecia guidances em todos os balanços há três, quatro anos, mas isso foi mudando", disse ele. Nos Estados Unidos, porém, "é algo mais que normal" divulgar previsões.

O empenho das operadoras em atender os jornalistas para comentar e tirar dúvidas sobre o balanço era outro no início desta década, quando, por exemplo, companhias de fora de São Paulo --como Brasil Telecom e Telemig Celular -- deslocavam seus executivos até a capital paulista para falar pessoalmente com jornalistas a cada trimestre.

Os encontros na Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) também eram comuns e rendiam, inclusive, prêmios às empresas pela assiduidade com que se dispunham a atender os investidores, encontros onde a presença da imprensa era permitida.   Continuação...