Microsoft reduz preço do Vista para incentivar atualização

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 10:16 BRT
 

SEATTLE (Reuters) - A Microsoft afirmou nesta quinta-feira que planeja reduzir preços das caixas do sistema operacional Windows Vista no varejo, uma medida para atrair consumidores para a versão mais recente do produto.

A maior produtora mundial de software disse que planeja redução de preço do Windows Vista em 70 países este ano, acompanhando o lançamento da primeira grande atualização do Vista, conhecida como Service Pack 1 (SP1).

O Windows Vista vendido em lojas e via Internet corresponde a menos de 10 por cento de todas as licenças do Windows, presente em cerca de 90 por cento do mercado mundial de computadores pessoais.

"Projetamos que essa decisão oferecerá grandes oportunidades... de vender mais cópias do Windows", afirmou Brad Brooks, vice-presidente corporativo da Microsoft.

Nos Estados Unidos o preço do Windows Vista Ultimate, sistema operacional mais avançado oferecido pela empresa, caiu de 399 para 319 dólares para a versão completa e de 259 para 219 dólares para a versão de atualização, destinada a quem já possui o Windows XP ou outra edição do Windows Vista.

A empresa também reduzirá os preços das versões de atualização do Vista Home Premium, seu produto principal, de 159 para 129 dólares. O corte nos preços varia de país para país.

Nos mercados emergentes, a Microsoft vai parar de vender versões de atualização do Vista porque, para muitos consumidores será a primeira compra de uma cópia não falsificada do Windows. Em vez disso, a empresa venderá o Vista Home Premium e Home Basic pelo preço das versões de atualização.

A empresa vendeu mais de 100 milhões de licenças do Vista desde seu lançamento em janeiro de 2007, e sua adoção tem ajudado nos bons balanços da empresa nos últimos trimestres.

Alguns consumidores reclamam do desempenho do Vista, suas grandes exigências de hardware e da falta de suporte para alguns programas e dispositivos. A Microsoft afirmou que continuará a vender o Windows XP até junho de 2008, adiando uma planejada transição para o Vista.

Brooks, que administra o marketing do Vista, disse estar confiante que a empresa conseguirá trazer novos consumidores para equilibrar a queda na receita gerada pela redução de preços.