Um quarto dos iPhones está "destravado", diz analista

terça-feira, 29 de janeiro de 2008 15:30 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - Mais de um quarto das pessoas que compraram o iPhone, da Apple, está usando o aparelho em redes de tecnologia sem fio ao invés de utilizar os serviços da AT&T, operadora exclusiva do iPhone nos Estados Unidos, um número que pressionará o modelo de negócios da companhia, disse um analista nesta segunda-feira.

O pesquisador da Bernstein Research Toni Sacconaghi afirmou que análises de números de vendas da Apple e da AT&T revelaram que cerca de 1,45 milhão de telefones estavam "desaparecidos em ação" no fim de 2007.

Cerca de 480 mil deles devem ter sido mantidos pela AT&T como estoque, deixando 1 milhão de outros aparelhos, ou 27 por cento do total, "destravados" para uso em redes não ligadas à operadora exclusiva", relatou Sacconaghi.

Executivos da Apple disseram na semana passada que o número de telefones desbloqueados é "significante", mas rejeitaram dar uma estimativa. A maioria dos analistas avalia que a porção de dispositivos destravados esteja na faixa de 20 por cento.

Porta-vozes da Apple e da AT&T rejeitaram comentar a questão.

O número maior representa motivo de preocupação da Apple, pois a companhia recebe uma fatia das cotas de serviço da AT&T, receita que representa uma grande margem e gerou otimismo sobre o potencial de ganhos da criadora do iPhone.

Se tomar medidas severas contra telefones destravados, a Apple pode preservar seus ganhos, mas deve perder sua meta de vendas, já que permitir tal prática pode reduzir a lucratividade.

"Além das implicações financeiras, acreditamos que o predomínio de iPhones destravados representa um dilema estratégico significante para a Apple", escreveu Sacconaghi.

(Reportagem de Scott Hillis)