Robôs emotivos aprendem com crianças

sexta-feira, 30 de maio de 2008 09:48 BRT
 

Por Syantani Chatterjee

PASADENA, Estados Unidos (Reuters) - O Keepon, um robô em forma de homem de neve, com pele de silicone amarelo brilhante, balança o corpo de um lado para outro quando fica alegre e saltita de animação como uma criança.

Talvez ele não experimente a vida da mesma maneira que os seres humanos, mas consegue expressar algumas de suas emoções, por mais básicas que sejam, e com isso derruba o estereótipo de que robôs não têm emoções.

Os oito Keepons existentes se revezam interagindo com crianças e, com a ajuda de cientistas, reagem aos movimentos e expressões faciais exageradas que costumam caracterizar essa idade.

"Esse robô consegue reconhecer um rosto que traga uma expressão acolhedora, por exemplo", disse Hideki Kojima, criador do Keepon e cientista sênior do National Institute of Information and Communications Technology, no Japão.

Desde 2003, o Keepon vem sendo usado para estudar de que maneira as crianças desenvolvem o comportamento social.

"O objetivo do robô é ajudar os psicólogos infantis a compreender como as crianças se desenvolvem socialmente aos dois e três anos de idade", disse Kozima.

"Elas começam a se comunicar umas com as outras, a reconhecer expressões sociais e a desenvolver sentimentos de empatia. Estamos tentando incorporar esse tipo de compreensão do comportamento social nos robôs", explicou ele.

O Keepon usa pequenas câmeras como olhos e tem um microfone no nariz. O robô, feito de material flexível, tem um palmo de altura e seu interior é quase vazio. Ele opera sobre uma base em forma de barril que oculta quatro motores e duas placas de circuito, seus principais componentes robóticos.   Continuação...