Intel não vê desaquecimento no mercado global de PCs

quarta-feira, 30 de julho de 2008 17:45 BRT
 

Por Ruben Bicho

LISBOA (Reuters) - A Intel, maior fabricante mundial de chips, não espera um desaquecimento na demanda global por computadores pessoais, apesar dos problemas econômicos nos Estados Unidos e outros países, afirmou o presidente do conselho da empresa, Craig Barrett, nesta quarta-feira.

Em Lisboa, onde estava para assinar o esboço de um acordo com o governo português para fabricar 500 mil computadores de baixo custo, Barrett acrescentou que a empresa está otimista com as perspectivas de demanda por computadores mais baratos e sistemas com acessos sem fio.

"Temos uma previsão relativamente otimista, afirmando que apesar dos problemas econômicos nos Estados Unidos nossos negócios são tão internacionalizados que não sentimos qualquer desaquecimento no mercado de PCs", disse.

Barrett apontou que diversas economias não foram seriamente afetadas pelo desaquecimento nos EUA, gerando expectativas de que a crise terá implicações limitadas.

"Estamos vendo... que o desaquecimento nos Estados Unidos não se espalhou para todos os lugares. A economia do mundo não está tão robusta quanto poderia, mas não está um desastre."

Além do segmento de banda larga sem fio e da próxima geração de computadores de baixo custo, a Intel vê tendência de alta também para a introdução de mais capacidades digitais na área de saúde.

"Há uma grande oportunidade para usá-la não somente em funções administrativas, mas também em diagnósticos remotos", acrescentou.