Nokia vê energia além de células combustível

quarta-feira, 24 de setembro de 2008 15:03 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - A indústria de telefonia móvel precisa se concentrar mais em utilização de energia para que os sofisticados aparelhos atuais possam executar vídeos e músicas por mais tempo, afirmou um executivo da Nokia.

A forma como telefones celulares usam consomem mudou dramaticamente desde a introdução de tecnologias como vídeo por streaming e telas de alta-resolução, que gastam muito mais energia.

A Nokia afirma que desenvolvedores de software precisam focar mais em fazer com que seus programas gastem menos energia. Ao mesmo tempo, a maior fabricante mundial de celulares está procurando alternativas a baterias de íons de lítio, que sustentam os celulares hoje.

"Os telefones precisam ter desempenho melhor", disse à Reuters Bob Iannucci, vice-presidente de tecnologia. Ele acrescentou que células combustível, por longo tempo consideradas como a opção do futuro para aparelhos pequenos como notebooks, podem não ser a solução para celulares.

"Há problemas óbvios com células combustível", disse ele sobre a tecnologia de baterias que geram eletricidade a partir de metanol e água.

"Nós estamos mais interessados em buscar soluções como super-capacitores baseados em nanotecnologias", disse Iannucci. Super-capacitores armazenam energia em um campo elétrico e não quimicamente, como as baterias atuais de íons de lítio.

Para que células combustível sejam amplamente usadas para alimentar aparelhos portáteis, uma rede global de distribuição deve ser criada para o fornecimento do metanol necessário para alimentar as células. Também será necessário que a pequena capacidade das células combustível cresça drasticamente, disse ele.

"Você tem que ter uma bateria ou um capacitor além da célula combustível, que consome espaço do celular. Com isso, você começa a se perguntar: Para que se preocupar com células combustível?", disse Iannucci. "O problema da distribuição matará essa equação."