Reino Unido cria agência para proteger crianças na Web

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 14:47 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Crianças serão protegidas de sites que incentivam o suicídio e a pornografia por uma nova agência criada pelo governo britânico.

A secretária do Interior, Jacqui Smith, afirmou que a nova agência é a maior coalizão de organismos públicos e privados para salvaguardar jovens dos sites daninhos da Web.

A agência tem como meta ensinar jovens sobre possíveis perigos, combater sites que contém material ilegal e estabelecer um código de conduta para sites que permitem pessoas publicarem seus vídeos ou mensagens.

O Conselho Britânico para Segurança de Crianças na Internet (UKCCIS na sigla em inglês) também vai combater videogames violentos e promover a propaganda online responsável.

"Estamos determinados a fazer tudo o que podemos para assegurar que o ambiente da Internet seja seguro para o uso de crianças", disse Smith em comunicado.

Reportando-se diretamente ao premiê britânico, Gordon Brown, os 100 membros da agência incluem empresas como BT (antiga British Telecom), Facebook, Google, Microsoft e Vodafone.

Ministros têm estado sob pressão para fazerem mais no combate a videogames violentos e sites que dão um ar de glamour ao suicídio.

Em março, um estudo do governo feito pela psicóloga Tanya Byron incluiu uma série de medidas para a proteção de crianças online, incluindo pedidos para a formação de um conselho de segurança.

Segundo o secretário britânico de Cultura, Andy Burnham, o conselho vai ajudar a garantir que "o que não é aceitável fora da Web não seja aceitável online".

(Por Peter Griffiths)