Ballmer diz que Microsoft não está imune à crise global

terça-feira, 30 de setembro de 2008 15:46 BRT
 

Por Tarmo Virki

OSLO (Reuters) - O presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, declarou na terça-feira que a crise financeira mundial vai reduzir os gastos dos consumidores e das empresas, prejudicando todas as companhias, entre as quais a sua.

"As questões financeiras afetarão tanto os investimentos empresariais quanto o consumo, e especialmente o consumo do setor de serviços financeiros", disse Ballmer a repórteres em uma entrevista coletiva na capital norueguesa.

"Temos muitos negócios com o setor corporativo, bem como com o setor de consumo, e o que quer que aconteça economicamente certamente terá efeito sobre a Microsoft", ele disse à Reuters.

"Acredito que seja preciso antecipar que nenhuma empresa estará imune a essas questões", ele disse, mas se recusou a ser mais específico.

Os analistas de Wall Street estimam que, em média, a empresa registre elevação de receita de oito por cento, para pouco menos de 15 bilhões de dólares, em seu primeiro trimestre fiscal, que se encerra em setembro.

"Existem partes de nosso negócio que estão provavelmente 'seguras', no sentido de que não é provável que nossos negócios caiam a zero", ele declarou em entrevista.

"Por outro lado, quando as companhias dispõem de menos dinheiro elas são capazes de tomar menos dinheiro emprestado e de gastar menos dinheiro, isso certamente não trará nada de bom. Quando os consumidores sentem o aperto na economia, quando os preços das casas caem, nada disso pode ser bom", disse Ballmer.

As ações da Microsoft subiram em 3,3 por cento, para 25,84 dólares, pela metade do pregão, em um mercado norte-americano que estava em geral se recuperando depois da acentuada queda da segunda-feira.   Continuação...