Nintendo lançará DS com câmera e player de música em novembro

quinta-feira, 2 de outubro de 2008 10:16 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A Nintendo anunciou que lançará em 1o de novembro, no Japão, uma versão do portátil DS que poderá tirar fotos e tocar música, em uma tentativa de sedimentar sua liderança contra o PlayStation Portable (SPS), da Sony, e se esgueirando pelo território do iPod e do iPhone, da Apple.

O novo modelo, que será mais fino e terá tela maior que o DS atual, será vendido por 18.900 ienes (179 dólares), ante o preço de 16.800 ienes do modelo atual. O aparelho deverá ser mais barato que o PSP, que custa 19.800 ienes.

Os planos da Nintendo são de lançar o novo aparelho, o DSi, fora do Japão em 2009.

O DS e o console Wii têm sido os motores de crescimento da Nintendo nos últimos anos.

A companhia aumentou sua previsão de lucro operacional para o ano até março de 2009 em 23 por cento, para 650 bilhões de ienes (6,2 bilhões de dólares).

"Estamos em uma fase sem precedentes em que uma em cada seis pessoas (no Japão) tem um DS", disse o presidente da Nintendo, Satoru Iwata. "Vamos promover uma mudança de 'um DS por residência' para 'um DS por pessoa'", acrescentou.

O novo modelo do aparelho será 12 por cento mais fino que o atual e terá telas LCD 17 por cento maiores que as do DS vendido hoje.

Sobre o Wii, a Nintendo planeja lançar o aguardado título "Wii Music" dia 16 deste mês, no Japão, entrando em um mercado que foi deflagrado pelo "Guitar Hero", da Activision Blizzard.

"Wii Music" permitirá que os jogadores simulem mais de 60 instrumentos diferentes e promete ser um propulsor de vendas do Wii na temporada de compras natalinas deste ano.

 
<p>Promotoras da Nintendo posa com o novo aparelho de jogos port&aacute;til DS, depois de uma coletiva de imprensa em T&oacute;quio, dia 2 de outubro. O aparelho pode tirar fotos e tocar m&uacute;sica, e &eacute; uma tentativa de sedimentar sua lideran&ccedil;a contra o PlayStation Portable (SPS), da Sony, e se esgueirando pelo territ&oacute;rio do iPod e do iPhone, da Apple. REUTERS/Kim Kyung-Hoon (JAPAN)</p>