Oi descarta guerra de preços na estréia em São Paulo

quinta-feira, 2 de outubro de 2008 16:43 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A Oi começa na sexta-feira um pré-cadastro de clientes para a venda de celular pré-pago no Estado de São Paulo, onde a companhia chega como quinta operadora.

Apesar de oferta agressiva para os clientes que se cadastrarem até 23 de outubro, com três meses de uso gratuito (sem necessidade de recarga) e bônus de 20 reais por dia, a operadora promete não se envolver em guerra de preços e não acredita que a concorrência o faça.

A ativação dos clientes pré-pagos cadastrados começa a ser feita no dia 24 deste mês, mesmo dia em que a Oi começa a vender celulares pós-pagos.

"Não vamos entrar em guerra de preços, a gente trabalha com serviços", disse Roderlei Generali, diretor de mercado para a região São Paulo da Oi, em teleconferência com jornalistas nesta quinta-feira.

Ele ressaltou que a companhia não é a maior vendedora em sua atual região, "mas somos quem menos perde". Generali acredita que a oferta de serviços é a responsável pelo ganho de 0,5 ponto percentual ao mês na participação de mercado da Oi nos 16 Estados em que atua hoje.

"Não acredito que o mercado vá entrar em guerra de preços porque ele está muito mais maduro", acrescentou. Ele espera que a oferta da Oi movimente o setor, "mas ela deve trazer muita gente que hoje está fora porque não tem dinheiro", ponderou.

80 MIL LINHAS DESBLOQUEADAS

Antes mesmo de estrear em São Paulo, a Oi começou, em agosto, a desbloquear celulares de clientes da concorrência em resposta a uma liminar obtida pela Claro.   Continuação...