October 3, 2008 / 3:14 PM / 9 years ago

Espionagem no Skype da China causa ira e desespero

4 Min, DE LEITURA

Por John Ruwitch e Emma Graham-Harrison

HONG KONG/PEQUIM (Reuters) - Os internautas mais experientes na China começaram a evitar a versão do Skype oferecida pela parceira chinesa da empresa dois anos atrás, mas notícias de que o serviço filtrava e gravava mensagens de texto causaram novas preocupações quanto ao compromisso da empresa para com a privacidade.

A empresa de comunicações controlada pelo site norte-americano de leilões eBay está enfrentando reações na China e em seu país por aparentemente permitir que seus princípios básicos sejam comprometidos a fim de atender à demanda dos censores chineses, alertaram analistas.

"Talvez jamais saibamos se algumas dessas pessoas cujas conversas foram gravadas foram para a prisão ou tiveram suas vidas arruinadas de outras maneiras como resultado disso", afirma Rebecca MacKinnon, especialista em Internet na Universidade de Hong Kong.

Trata-se de um grande golpe para a credibilidade da Skype, ainda que seus executivos venham tratando o assunto como irrelevante.

A Skype, com suas promessas de segurança e privacidade total, há muito vinha sendo popular entre o chineses que desejam manter suas conversas protegidas contra a curiosidade dos censores do governo.

Mas a empresa controlada pelo eBay teve de se desculpar na quinta-feira depois que um relatório revelou que seu serviço chinês não só monitora bate-papos de texto que utilizem palavras de uma lista de termos sensíveis, algo que a companhia havia admitido, como também os grava junto com milhões de dados pessoais em computadores que podem ser facilmente acessados por qualquer um.

A Skype acrescentou, porém, que apenas conversações de texto nas quais uma ou mais pessoas estivessem utilizando a versão chinesa do software estavam sujeitas ao problema.

A censura provocou pouca surpresa entre alguns dos usuários de Internet chineses mais experientes que utilizavam o software fornecido pela TOM Online, sócia majoritária da joint-venture entre TOM e Skype na China.

"Nós já sabíamos que o software deles não transmitia mensagens contendo certas palavras, de modo que compreendemos que tinham algum acordo com o governo e evitamos o programa", disse Wang Lixiong, um escritor dissidente.

Mas ainda assim, houve revolta com o tamanho da cooperação da empresa com o governo que muitos viram como um outro exemplo de gigante ocidental ante admirada entortando seus princípios para fazer negócios na China.

"O problema com a Skype é que eles fizeram mais do que as pessoas estavam esperando. Eles agradaram excessivamente o governo", disse Isaac Mao, um dos primeiros e mais conhecidos blogueiros da China.

O Yahoo foi duramente criticado por seu papel na ajuda ao governo chinês identificar Shi Tao, repórter acusado de vazar segredos de Estado ao exterior. Ele foi condenado a 10 anos de prisão em abril do ano passado.

Já o Google, que tem como lema "não seja malvado", irritou alguns ao lançar um site chinês auto-censurado.

A TOM informou apenas que se ateve às regras e regulamentos chineses e não quis responder outras questões.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below