Asustek prevê venda recorde de notebooks em outubro

terça-feira, 7 de outubro de 2008 10:21 BRT
 

TAIPÉ (Reuters) - A Asustek Computer, de Taiwan, a maior fabricante do mundo de placas-mãe, informou nesta terça-feira que suas vendas de notebooks podem atingir em outubro um recorde de 800 mil unidades, enquanto ruma à importante temporada de compras de fim do ano.

A Asustek, que compete com a Acer e com a Dell na área de laptops, também informou que sofreu pouco impacto da crise financeira global, que está começando a prejudicar a demanda por aparelhos eletrônicos em mercados estratégicos.

"Nosso retorno no mercado europeu parece otimista", o presidente da Asustek, Jerry Shen, disse a jornalistas em um evento da companhia. "A Europa compõe mais da metade de nossas vendas", disse ele, acrescentando que as entregas de notebooks chegou a mais de 700 mil unidades em setembro.

Os dados para as entregas de outubro, que não incluem vendas do Eee PC, linha de baixo custo e de fortes vendas, colocam a companhia em ritmo para vender 6,2 milhões de laptops este ano, disse Shen.

Anteriormente, executivos da companhia disseram que a empresa esperava entregar entre 6 e 6,6 milhões de notebooks este ano.

Entretanto, há preocupações no setor de tecnologia de que a expansão da crise financeira global prejudicará a demanda nos princiais mercados, como os Estados Unidos.

Há tempos uma fabricante de placas-mãe, a Asustek se diversificou agressivamente no setor de computadores portáteis e telefones celulares para impulsionar magras margens em sub-contratos, mas agora enfrenta forte competição de atores importantes, como a Hewlett-Packard.

 
<p>Uma mulher passa por um painel de propaganda do Asus Eee PC S101 durante o lan&ccedil;amento em Taip&eacute;, no dia 7 de outubro. A Asustek Computer, de Taiwan, maior fabricante do mundo de placas-m&atilde;e, informou nesta ter&ccedil;a-feira que suas vendas de notebooks podem atingir em outubro um recorde de 800 mil unidades, enquanto ruma &agrave; importante temporada de compras de fim do ano. REUTERS/Nicky Loh (TAIWAN)</p>