Aplicações concretas da Internet móvel ainda são modestas

quinta-feira, 9 de outubro de 2008 16:29 BRT
 

PARIS (Reuters) - O acesso à Internet por celulares é um mercado potencialmente enorme, mas está pouco desenvolvido devido à falta de aplicações práticas, de acordo com um estudo do instituto de pesquisa Idate, publicado nesta quinta-feira.

"O mercado de Internet móvel está em completa ebulição na ponta da oferta, ainda que esta não se tenha adaptado totalmente até agora. Mesmo assim, os usos reais e concretos continuam sendo relativamente modestos", disse Vincent Bonneau, responsável pelos serviços de Internet do Idate, em entrevista coletiva.

"Trata-se de um verdadeiro mercado de massa cujo desenvolvimento será gradual devido à fragmentação tecnológica, à publicidade por enquanto insuficiente e aos serviços ainda não adaptados", acrescentou.

Os usuários se sentem muito insatisfeitos devido aos tempos longos de download, à incompatibilidade entre os diferentes sistemas e à ergonomia complicada, segundo o estudo.

O serviço mais utilizado de Internet móvel é o de meteorologia, enquanto que no computador são os de comunicações, os de serviços práticos (percursos, impostos, etc.), o comércio eletrônico e, em quarto lugar, o entretenimento.

No momento, apenas 21 por cento das pessoas com acesso ao celular contam com assinatura de alta velocidade que confere acesso à Internet, e entre 10 por cento e 15 por cento dos usuários se conectam à Internet ao menos uma vez por mês, ocasionalmente sem querer.

O Idate prevê que, de 2011 a 2012, entre 40 por cento e 45 por cento dos usuários de celulares se conectarão.

A telefonia móvel de terceira geração, que oferece acesso à Internet em alta velocidade, contava com 260 milhões de assinantes no mundo no final de 2007 e deve atingir um bilhão de usuários em 2011, com vantagem clara para a Ásia (Japão e Coréia do Sul), segundo o Idate.

(Reportagem de Nathalie Meistermann)