Aparelho ajuda macacos a mover pulsos paralisados

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 13:59 BRT
 

Por Julie Steenhuysen

CHICAGO (Reuters) - Macacos retomaram o movimento de músculos paralisados de seus pulsos por meio de um aparelho computadorizado que usa sinais cerebrais para comandar o movimento, disseram pesquisadores dos Estados Unidos. A pesquisa pode levar a tratamentos para pessoas paralisadas devido a lesões na espinha ou outros ferimentos.

"Essa é uma demonstração inicial de que esse tipo de tecnologia é possível", disse Chet Moritz, da Universidade de Washington em Seattle, que reportou suas descobertas na revista científica Nature.

O sistema fornece essencialmente uma rota artificial para que sinais cerebrais atinjam músculos paralisados, substituindo um percurso natural que pode ter sido prejudicado pela lesão.

Enquanto outras equipes desenvolviam sistemas complicados que procuram pelos sinais cerebrais que controlam os movimentos de partes específicas do corpo, Moritz e seus colegas queriam verificar se o cérebro pode aprender a usar o sistema computadorizado.

Pesquisadores implantaram eletrodos em cérebros de macacos para monitorar as células do córtex motor, a área do cérebro que controla o movimento. Os eletrodos enviaram sinais a um computador, conectado aos músculos do pulso.

Os pesquisadores injetaram drogas nos músculos dos braços dos macacos a fim de induzir paralisia temporária, e depois pediram que eles jogassem um videogame conhecido.

"A tarefa do macaco era jogar um videogame muito simples que requeria movimento do pulso... a fim de atingir os alvos que apareciam na tela", disse Moritz. "O macaco sabia jogar o videogame antes da paralisia, e por isso compreendia o jogo."

Depois de paralisado, a única maneira de mover o pulso era alterar a atividade de neurônios individuais em seu cérebro, que subseqüentemente controlavam os estímulos musculares.

Apenas um neurônio era necessário para controlar o movimento, e muitas células diferentes do córtex motor podiam ser treinadas para usar o sistema, segundo os pesquisadores.

"Constatamos que os macacos podem aprender muito rápido a controlar novos neurônios isolados a fim de estimular os músculos", disse Moritz.