Problema no colisor do Big Bang foi defeito elétrico, diz Cern

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 15:30 BRT
 

GENEBRA (Reuters) - O problema técnico que provocou o desligamento de um imenso colisor de partículas construído para investigar a origem do universo deveu-se a uma conexão elétrica defeituosa entre dois dos ímãs do acelerador de partícula, afirmou na quinta-feira a Organização Européia para a Pesquisa Nuclear (Cern).

No mês passado, por causa de um vazamento de gás hélio, o Cern viu-se obrigado a paralisar o maior experimento científico da história apenas dez dias depois de ter colocado em funcionamento o Grande Colisor de Hádrons (LHC).

"Esse foi um fato imprevisto", afirmou o diretor-geral do Cern, Robert Aymar, em um comunicado. "No entanto, estou convencido de que podemos realizar os reparos necessários, garantindo que um incidente semelhante não ocorra no futuro e avançando rumo a nossas metas de pesquisa."

O Cern já disse que o colisor, montado dentro de um túnel construído a 100 metros de profundidade, na periferia de Genebra, entrará em funcionamento outra vez entre março e maio de 2009. O túnel atravessa a fronteira com a França.

O acelerador precisou ser esquentado de sua temperatura de 271,3 graus Celsius negativos para que o problema fosse investigado e os consertos, realizados.

No momento em que o aparelho puder ser resfriado novamente, o Cern já terá ingressado em seu período de manutenção (realizada durante os meses de dezembro a fevereiro).

O instituto confirmou dispor das peças sobressalentes para garantir a ativação do LHC no próximo ano. E confirmou que o incidente não havia colocado ninguém em perigo.

Quando o colisor começou a funcionar, no dia 10 de setembro, o Cern viu-se obrigado a rebater insinuações de que o experimento poderia gerar pequenos buracos negros de intensa gravidade capazes de engolir todo o planeta.

O experimento pretende recriar as condições surgidas imediatamente após o Big Bang, a explosão que, segundo cosmólogos, deu origem ao nosso universo em expansão.   Continuação...