CERN inaugura experimento do Big Bang apesar de defeito

terça-feira, 21 de outubro de 2008 14:30 BRST
 

Por Jonathan Lynn

GENEBRA (Reuters) - O Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN) inaugurou oficialmente seu experimento de pesquisa sobre as origens do universo, na terça-feira, ainda que um problema técnico no mês passado tenha paralisado as operações alguns dias depois da entrada em operação.

Em meio a medidas maciças de segurança, cientistas e ministros visitaram as amplas instalações do CERN, na fronteira franco-suíça, para marcar o início da maior experiência científica já empreendida, que investigará os blocos de construção da matéria a fim de compreender o que faz com que o universo funcione.

"Os maiores filósofos, místicos e poetas jamais deixaram de meditar sobre esses mistérios -- o mistério da matéria e o mistério da criação do universo", declarou o primeiro-ministro francês François Fillon.

"Essas duas questões entrelaçadas jamais deixaram de fascinar a humanidade", ele declarou durante a cerimônia de abertura.

A cerimônia foi realizada para agradecer aos governos dos 20 países europeus que são membros do CERN e aos seis países colaboradores, entre os quais Rússia e Estados Unidos, por cobrirem o custo da máquina de nove bilhões de dólares.

O Large Hadron Collider do CERN, a maior e mais complexa máquina já construída, estudará os menores dos blocos de construção da matéria, as partículas subatômicas.

Os cientistas da CERN colocaram a máquina em operação em 10 de setembro, disparando feixes de prótons por um túnel de 27 quilômetros de extensão localizado nas cercanias de Genebra, a uma profundidade de 100 metros.

Mas nove dias mais tarde as atividades foram suspensas devido a um vazamento de hélio causado por uma conexão elétrica defeituosa entre dois dos imensos ímãs do aparelho.

A experiência, que será mantida em operação por entre 10 e 15 anos, não será retomada antes do segundo trimestre de 2009.

Quando retornar, recriará as condições existentes imediatamente depois do Big Bang, que a maioria dos cosmologistas considera como origem do nosso universo em expansão, 13,7 bilhões de anos atrás.