Coréia do Norte quer mais contatos militares com o Sul

sexta-feira, 24 de outubro de 2008 12:10 BRST
 

SEUL (Reuters) - A Coréia do Norte propôs na sexta-feira contatos com oficiais militares da Coréia do Sul, repetindo um encontro já realizado neste mês, enquanto todos os demais canais de comunicação permanecem rompidos, segundo uma autoridade.

Coronéis das duas Coréias mantiveram um rápido e conturbado encontro no começo do mês, quando o Norte se queixou de panfletos críticos ao dirigente comunista Kim Jong-il, lançados em seu território por uma ONG sul-coreana.

"Eles estão propondo 'um contato' de oficiais, não bem uma reunião, o que pode ser diferente", disse uma fonte do ministério sul-coreano da Defesa. "Estamos analisando a proposta."

No contato do dia 2, o primeiro desde a posse na Coréia do Sul do presidente conservador Lee Myung-bak, em fevereiro, Pyongyang disse que os panfletos violaram um acordo contra provocações mútuas.

Dois grupos sul-coreanos dizem que pretendem lançar mais 100 mil panfletos no Norte na segunda-feira.

Tecnicamente, os dois países permanecem em conflito, sob uma trégua que dura desde o fim da Guerra da Coréia (1950-53). Em 2000, uma cúpula bilateral iniciou uma fase de reaproximação, suspensa depois que Lee prometeu suspender o fluxo de ajuda para o miserável Norte.

Rodadas anteriores de contatos militares se voltavam para a redução nas fronteiras marítimas e terrestres. Antes de outubro, a última delas havia ocorrido em janeiro, antes da posse de Lee.

A tensão se agravou em julho, quando um soldado norte-coreano matou a tiros uma dona-de-casa sul-coreana que visitava uma estância turística montanhosa um pouco ao norte da fronteira.

(Reportagem de Jack Kim)