Craigslist aceita restringir anúncios online eróticos

quinta-feira, 6 de novembro de 2008 16:03 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - A Craigslist, popular serviço de classificados online da Web, concordou nesta quinta-feira em combater anúncios publicados por prostitutas em um acerto feito com autoridades de 40 Estados dos Estados Unidos.

O site de classificados tem sido pressionado a eliminar anúncios online de serviços sexuais. Os classificados dão à prostitutas fácil acesso a potenciais clientes que navegam pela Web, afirmam autoridades norte-americanas.

A Craigslist vai exigir que os anunciantes de serviços eróticos listados no site dêem um número de telefone de trabalho e paguem uma taxa com um cartão de crédito válido, escreveu o procurador geral de Connecticut Richard Blumenthal em comunicado. O site fornecerá as informações em resposta a intimações judiciais, informou.

"Espera-se que as prostitutas parem de usar a Craigslist para infringir a lei, sabendo que seus anúncios podem causar prisão e condenação", disse Blumenthal.

Blumenthal liderou esforços para negociar um acordo e foi seguido por outros 39 Estados.

A Craigslist, uma companhia privada, fornece classificados e fóruns online para mais de 550 cidades em mais de 50 países, de acordo com o seu site. Os termos de uso da empresa esclarecem que a publicidade de serviços ilegais, incluindo prostituição, é proibida.